Explicação e Significado de 1 Samuel 2

O significado de 1 Samuel 2 fala a respeito do cântico profético de Ana. Tendo recebido a resposta à sua oração, Ana entoa um cântico jubiloso de ação de graças, focalizando a soberania do Senhor e a sua graça aos humildes. Muito feliz com o que Deus havia feito por ela, Ana agora podia rir daqueles que a zombavam.

Ela louvou a Deus por sua justa ação em ajudar os oprimidos e reverter os erros que sofrera. Deus humilhou os orgulhosos e exaltou os humildes. E o que Deus havia feito por Ana, ele poderia fazer pelos outros. Nem o povo de Israel nem seus governantes precisavam temer seus inimigos se confiassem fielmente no poder salvador de Deus (1 Samuel 2:1-10). Tendo oferecido seu louvor a Deus, Ana voltou para casa com o marido. Mas Samuel ficou em Siló, onde foi criado por Eli na casa de Deus (1 Samuel 2:11).

(Visto que os israelitas não estavam mais deslocando o tabernáculo de um lugar para outro, eles aparentemente efetuaram alterações e acréscimos que a tornaram uma estrutura mais permanente; (veja 1 Samuel 1:9)

Os filhos de Eli

Eli, o sacerdote, havia se tornado juiz ou administrador principal em Israel. Ele estava sentado na porta da casa de Deus, onde as pessoas podiam encontrá-lo livremente para buscar seus conselhos ou pedir orientações nas disputas (ver 1 Samuel 1:9; 4:18). Seus filhos, ao que parece, realizaram o trabalho de rotina em conexão com os sacrifícios e cerimônias.

De acordo com a lei levítica, a porção do sacrifício que era para Deus tinha que ser queimada primeiro no altar, após o que o sacerdote e o oferente tomavam suas porções. Os filhos de Eli não ficaram satisfeitos com isso. Primeiro, eles pegaram mais da carne cozida do que deveriam, roubando, assim, ao ofertante o que pertencia à sua própria refeição sacrificial.

Segundo, e muito pior, eles pegaram a melhor parte da carne antes de ser cozida, para poder assar e comê-la à vontade. Isso mostrou seu desrespeito a Deus, porque significava que eles levavam suas porções antes que Deus recebesse a sua (1 Samuel 2:12-17; cf. Levítico 3:1-5; 7:15 ; 7: 29-33 ).

Enquanto os pais de Samuel experimentaram um aumento da bênção divina por causa de sua devoção altruísta a Deus (1 Samuel 2:18-21), os filhos de Eli foram avisados ​​sobre o castigo por causa de sua ganância e imoralidade. A corrupção dos filhos de Eli contrastava fortemente com o desenvolvimento divino na vida do jovem Samuel. Deus estava preparando Samuel para ser o sucessor de Eli (1 Samuel 2:22-26).

Julgamento sobre a família de Eli

Deus então enviou um profeta a Eli para anunciar um julgamento divino sobre a família ímpia. Os descendentes de Eli, em vez de gozarem de um serviço duradouro no sacerdócio, seriam punidos com vergonha, pobreza e morte prematura. Mesmo que Deus permita que um descendente de Eli continue funcionando por um tempo como sacerdote, ele acabaria por remover a pessoa do cargo. Ele tiraria o sacerdócio da família de Eli e o daria a um homem mais digno (1 Samuel 2:27-36; cf. 4:11; 14:3; 22:11-20; 1 Reis 2:26-27)

Algum tempo depois, quando Samuel tinha provavelmente doze ou treze anos de idade, Deus revelou a Samuel o que anteriormente ele havia conhecido a Eli por meio do profeta. Apesar de suas muitas fraquezas, Eli foi humilde o suficiente para aceitar o julgamento anunciado por Deus como um castigo justo.

Fonte da explicação de 1 Samuel 2:

  • Autoria: Bridgeway Bible Commentary; de Fleming, D.

.